sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Um momento senhor! Já estamos nos fudendo!


A minha liberdade se esvai todas as noites quando meus pensamentos exaustos se voltam para o martírio cotidiano do dia seguinte, se vai todas as manhãs quando escovo os dentes e me visto para a labuta, quando me vejo em meio à turba espremida no container Mercedes Benz, na repetição dos gestos, das falas, nos míseros três dígitos no contracheque, no aumento da força motriz do Capitalismo, nos meus desejos negados, meu cartão abarrotado, na venda barata da minha força de trabalho por um mundo de sonhos dezoito andares abaixo.

Texto: Juliana Ebrifestante

4 comentários:

ebrifestante disse...

Mas recarrego a alma com os beijos de sexta, a paixão do sábado, o mau humor de todo domingo que se vai anunciando o beijo regado a café e abraço cheirando ao meu perfume roubado do armário...

Ricardo Valente disse...

Puta massacrante vida, podia fuder menos. Mas ela sabe que dá prazer!
Abraço!
Segundo tempo: asturras.blogspot.com

João Gilberto disse...

Esse texto conseguiu colocar um sabor de segunda-feira pela manhã no meu sábado a noite. Incrível xD

Bom texto.

Achado de Anis disse...

São 6 horas de trabalho estafante!!! Parabéns Juliana! Eu prefiro ler seus textos a escutar sua voz num telemarketing.
abraço